quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Resenha do livro 1, por Renato Klisman

O Renato Klisman, do blog RK Books, resenhou sobre sua leitura de D.I. 1.


Fiquei muito feliz não apenas com a resenha, mas com o interesse de lê-lo após ter produzido a capa do livro \o/

Muito obrigada!!!!!

Bora ler a opinião dele?




"Pulsante, sexy e assustador…
Luna tinha uma vida comum, recheada com uma ilusão amorosa, um convivência familiar difícil e as desavenças que toda pessoa normal tem.
Mas tudo muda, no momento em que ela acorda e se depara com o planeta completamente destruído e, as pessoas que ela mais ama, mortas.
Começa então uma jornada, pulsante e fascinante, por vários cantos desse Brasil maravilhoso e gigantesco. Onde uma nova raça está surgindo, pessoas com capacidades extra-humanas, que irão tornar a vida de Luna, milhões de vezes mais interessante, perigosa e mortal.
Prepare-se para um mundo onde nada é o que realmente parece, seu inimigo pode ser seu amigo mais leal e o Invisível se torna real à todo instante.
A HISTÓRIA: Fantásticaaaa! Gostei do livro, tipo, imensuravelmente! E, olhem só, ele é dividido em capítulos bem curtos, de no máximo 4 páginas – se não me engano -, e a narrativa é ótima, fluída, envolvente e muito viciante!
E o melhor de tudo é que as coisas acontecem todas aqui, na nossa linda terrinha… hehe.
Gostei do livro inteirinho, tanto da diagramação – que letra fofa é aquela usada na parte interna do livro? *-* – quanto a forma que ele é escrito.
A narrativa já começa tensa, mas logo dá uma acalmada – e confesso, fica meio confusa O.o, o que só aumenta o suspense… hehe – e, então, fica totalmente pirada, deixando o leitor doidinho da silva, tentando decifrar o que está por vir!
Os personagens são bem marcantes e, poxa, totalmente pirados. Mas, queria o que né? Estão em um mundo pós-apocalíptico, têm superpoderes e lutam pela sobrevivência a toda hora, se fosse eu, nem imagino como estaria meu cérebro – mentira, imagino sim, o coitado estaria em fase terminal, totalmente e curto-circuito. Amei a Luna, e odiei também, assim como todos os outros personagens, cada um tem sua característica amável e amedrontadora.
Porém, nem tudo são flores. Durante a narrativa eu senti falta de descrições das andanças do pessoal, júrei que eles estavam se movendo rápido demais. :O  Esse problema, acho eu, foi causado pelo motivo de a história não seguir bem uma linha de datas, aí eu ficava meio confuso… haha. Mas nada tão descabelador que atrapalhe a leitura. XD
Ah, antes que eu me esqueça: Eu sempre quis escrever um livro sobre mutações genéticas, superpoderes e talz. Como nunca tive essa coragem, considero DI a realização do meu sonho. Ou seja, estou mandando, explicitamente, que vocês leiam-no.
PS: os capítulo finais são de matar, leia o livro com umas 5 cartelas de calmante do seu ladinho. :)
A CAPA: Bom, como fui eu, o criador dessa maravilha – ok, nem me acho -, pedi para a Josy Tortaro dizer a opinião dela aqui, confiram:
A capa é simplesmente perfeita. Começando pela cor turquesa esfumaçada incrível que é acentuada com a laminação fosca, um tom agradável aos olhos. Não canso de ver. Cada imagem é uma dica da história, de forma sutil e criativa: as rachaduras (destruição), a borboleta (transformação) e a ampulheta (tempo). Muito bem casadas com o enredo. A borboleta da lombada, misturada ao numeral romano é fantástica. A fonte personalizada encerra com chave de ouro. Um trabalho espetacular.
UMA PALAVRA QUE DEFINIRIA O LIVRO: Impactante."

Quer ler o post original?




-----;)--------- Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal. Crie, seja feliz!!!!
 

2 comentários:

Josy Tortaro disse...

Tipo assim, sou muito chique! Olha eu participando da resenha hahahahahaha Sucesso aos dois lindos do meu coração! bjossssss

Gisele Galindo ou simplesmente Gi. disse...

Vc é msm mt chique!!!!!

Acertou em cheio td o significado da capa ;)

bjs***